quarta-feira, 27 de maio de 2015

ALTERNATIVA PARA TRATAMENTO DE EFLUENTES UTILIZANDO BIOMATERIAIS

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ, Wallas Souza)

Tratamentos a baixo custo para descarte adequado de efluentes industriais são alvos de buscas incessantes por engenheiros e outros profissionais, e isso reflete não somente no fato de haver leis que imponham o tratamento e destino correto para esses efluentes, mas também porque deve ser um compromisso de quem está lucrando com os recursos naturais, de minimizar a agressão ao meio ambiente.

Algumas alternativas de tratamento já estão conseguindo associar o resíduo proveniente do consumo de frutas da própria população, bem como aquele gerado em algumas indústrias de alimentos, a um biomaterial para o tratamento de efluentes líquidos.

De que estaríamos falando? Atualmente, já vem sendo desenvolvida pesquisas com resíduos vegetais (cascas e mesocarpos) para tratamento de efluentes que possuam metais potencialmente tóxicos. Essa alternativa tem se mostrado bastante eficiente quando aplicado em efluentes com alto teor de metais pesados, como a indústria têxtil, curtume, galvânica, mineração, entre outras, já que os metais pesados são posteriormente aos agrotóxicos, a maior causa dos desequilíbrios químicos e bióticos que ocorrem na água e nos sedimentos dos lagos e reservatórios.

O que tem feito os cientistas? Uma das alternativas é a utilização da casca de banana, pois foi descoberto que a casca dessa fruta depois de triturada serve como um dos maiores purificadores da água, removendo chumbo e cobre da água de rios, já que os rios são poluídos na maioria dos casos pelas atividades humanas.O que chama mais atenção, é que para a captura desses metais pesados, não se faz necessária nenhuma modificação química.

Outra opção é a utilização da fibra de coco, que segundo a literatura possui eficiência principalmente na indústria têxtil, pelo seu efeito na adsorção do corante presente.

Uma terceira possibilidade de biomaterial foi descoberto por pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (IB-Unesp), onde verificou-se que o pó das folhas da mamona (Ricinuscommunis),é capaz de remover além chumbo e cobre, o mercúrio e o zinco. O processo se dá por meio de uma interação química, onde os metais pesados são adsorvidos e ficam retidos na superfície do filtro, assim como nos casos citados anteriormente. Cabe ressaltar novamente que esse é um material simples e de baixo custo, e que pode ser reutilizado por até 18 vezes.

Logo, temos como resultado que resíduos que anteriormente seriam descartados e ocupariam maior espaço em aterros sanitários, bem como necessitariam de um tratamento posterior, agora servem como um agente que auxilia no tratamento de outros resíduos.

Referências

http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/tox.htm
http://www.fundep.ufmg.br/pagina/1059/brasileiros-criam-filtro-de-metais-pesados-com-cascas-de-banana.aspx
http://www.ecycle.com.br/component/content/article/37-tecnologia-a-favor/1980-casca-de-banana-e-po-de-folha-de-mamona-sao-usados-como-filtros-para-retirar-metais-pesados-da-agua.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário