terça-feira, 24 de março de 2015

INDÚSTRIA PETROQUÍMICA NACIONAL: UM OLHAR ALÉM DO HORIZONTE

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ, Michell Cardoso)

A petroquímica é a área da química relacionada aos derivados de petróleo e sua utilização na indústria. É uma área muito importante, já que trata de combustíveis, cuja demanda cresce diariamente. Logo, a indústria petroquímica objetiva a transformação do petróleo na maior diversidade de produtos possíveis, com o menor custo e a maior qualidade. A contribuição e a importância dessa indústria para a economia e a sociedade modernas são destacadas pela oferta de materiais alternativos aos mais tradicionais, como, por exemplo, vidros, metais e fibras naturais, e que ainda apresentam melhor desempenho associado a custos mais reduzidos.


O petróleo constitui uma composição de hidrocarbonetos que pode se mostrar em fase gasosa (Gás Natural), líquida (óleo) ou sólida (xisto). Geralmente, é no formato liquido que o petróleo é encontrado e que serve a toda a indústria. Os Estados Unidos e o Oriente Médio se destacam como os maiores exportadores de petroquímicos do mundo, devido a vantagens competitivas oriundas da utilização de gás natural de baixo custo como matéria-prima.

Os três passos básicos da petroquímica são: a extração de petróleo, o refino e sua transformação num produto, embora pareça simples, porém, o procedimento entre a matéria-prima e o produto comercializável inclui mais de 45 etapas.

Portanto, vale muito à pena investir no ramo da petroquímica, pois o mercado de atuação é muito amplo para um engenheiro químico.

PÓS-GRADUAÇÃO


A busca por profissionais mais qualificados, com maior conhecimento na sua área de atuação, faz da pós-graduação um diferencial devido à maioria dos profissionais que terminam a graduação não darem continuidade aos estudos. Por isso se tornou imprescindível, uma obrigação, passando a integrar um dos principais itens que compõe um currículo bem construído.

No Brasil existem algumas instituições de ensino que oferecem pós-graduação para àqueles que estejam interessados em ingressar na área da petroquímica, proporcionando ao profissional uma visão abrangente das principais atividades de engenharia necessárias para a exploração e processamento do petróleo e seus derivados. O curso abrange também atividades correlatas na produção de biocombustíveis, gás natural, petroquímicos básicos e logística de estocagem. Entre as instituições estão: a Faculdade SENAI Rio (RJ); O Centro de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Oswaldo Cruz (SP); entre outros.

Empresas Químicas e Petroquímicas no Brasil


A questão da petroquímica no país é muita ampla e concentra-se em sua maioria na parte litorânea do Brasil. A seguir a lista das 10 maiores empresas químicas e petroquímicas presentes no cenário nacional, conforme a revista Exame:

1. BRASKEM – São Paulo (SP)
2. REFAP – Canoas (RS)
3. BASF – São Paulo (SP)
4. BAYER – São Paulo (SP)
5. HERINGER – Paulinia (SP)
6. DU PONT – Barueri (SP)
7. SYNGENTA – São Paulo (SP)
8. BUNGE FERTILIZANTES – São Paulo (SP)
9. DOW – São Paulo (SP)
10. WHITE MARTINS – Rio de Janeiro (RJ)

Novidades

BRASKEM INVESTE US$ 34 MILHÕES EM FÁBRICA NOS ESTADOS UNIDOS

A Braskem anunciou que vai investir US$ 34 milhões na construção de uma nova fábrica em La Porte no Texas, nos Estados Unidos. A unidade produzirá uma resina conhecida comercialmente como Utec e usada como componente na construção civil, produção de artigos militares e produtos para extração de petróleo. A indústria química brasileira divulgou que pretende iniciar as obras da fábrica a partir do terceiro trimestre deste ano, com conclusão prevista para o primeiro semestre de 2016. A empresa já produz polipropileno em La Porte. 

"Trata-se de um passo lógico para o nosso negócio, uma vez que a comercialização da Utec já existe há mais de 10 anos nos EUA. A iniciativa permitirá à Braskem ampliar e intensificar sua atuação estratégica no cenário internacional", afirmou o VP dos negócios da Braskem nos EUA e Europa, Fernando Musa. (Divulgado em 28/06/2014)

Referências Bibliográficas:

ANTUNES, Adelaide Maria de Souza. Setores da Indústria Química Orgânica. Rio de Janeiro: E-papers. 2007.
Disponível em: <http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/bnset/set205.pdf> Acesso em 13/02/2015.
Disponível em: <http://www.crq4.org.br/quimica_viva__petroquimica> Acesso em 12/02/2015.
Disponível em: <http://www.comciencia.br/reportagens/petroleo/pet21.shtml > Acesso em 12/02/2015.
Disponível em: <http://www.oswaldocruz.br/pos/cursos/curso.asp?id_curso=296> Acesso em 11/02/2015.
Disponível em: <http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/as-15-maiores-empresas-de-quimica-e-petroquimica> Acesso em 11/02/2015.
Disponível em: <http://www.eteno.com.br/noticias.php> Acesso em 11/02/2015.
_______________________________________________________________
Atenciosamente,
Michell Gleison Sáles Cardoso
Representante e Trainee GC 2015 - BetaEQ

Nenhum comentário:

Postar um comentário