domingo, 22 de março de 2015

AGUARDENTE EM FOCO

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ, Allison Ruan)

Provavelmente sua mãe teria um infarto se, após a faculdade, você dissesse: serei cachaceiro, mãe! Cachaceiro, diferente do senso comum, não quer dizer que alguém consome cachaça excessivamente, mas, sim, denomina o profissional que produz a cachaça.


A cachaça, bebida feita da fermentação e destilação do melaço proveniente da cana-de-açúcar, é a terceira bebida destilada mais consumida no mundo e a primeira no Brasil. Segundo o Programa Brasileiro de Desenvolvimento da Aguardente de Cana, Caninha ou Cachaça (PBDAC), a produção é em torno de 1,3 bilhão de litros por ano, sendo que cerca de 75% desse total é proveniente da fabricação industrial e 25%, da forma artesanal. A produção nacional gera um faturamento de U$ 600 milhões, empregando mais de 400 mil pessoas diretamente e propiciando uma arrecadação de aproximadamente R$ 76,5 mi em impostos a cada ano. 


A sua produção acontece em todas as regiões brasileiras, sendo a maior parte nos estados de São Paulo, Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro, Goiás e Minas Gerais. A pernambucana Pitú está entre as marcas de cachaça brasileiras de maior penetração no exterior, estando presente em 21 países, a maioria na Europa, sendo um dos maiores centros consumidores de cachaça no exterior. Apesar do crescimento dos últimos anos, a participação das exportações de cachaça no total da produção nacional ainda é bastante ínfima. A maior parte da cachaça destina-se ao mercado interno. 

Não existe uma graduação específica para se produzir cachaça. Porém, o engenheiro químico se encaixa perfeitamente, tal como o engenheiro de alimentos, o químico e as áreas afins. Podemos encontrar diversos cursos profissionalizantes, como: cursos de mestre alambiqueiro, de tecnologia de fabricação de cachaça e cursos de produção, comercialização e mercado. 

Estas opções de cursos geralmente exigem apenas formação fundamental e média, o que não nos limita. Como graduados, podemos buscar por pós-graduações em áreas como ciências dos alimentos e atribuir o conhecimento à indústria cachaceira. 


O Brasil possui um imenso potencial para a indústria alimentícia, e devemos saber tirar proveito disso. Atualmente existem alguns líderes na produção industrial do produto, podendo citar: a Companhia Müller de Bebidas, que é responsável pela produção da cachaça 51; e a Ypióca, que é a maior fabricante de aguardente de origem e atua em todo o território nacional, além de exportar para mais de 40 países. Podendo haver, também, a opção empreendedora, visto que em algumas regiões do país há uma forte movimentação no setor de cachaças artesanais, sendo bastante rentável. 

Leia um pouco mais em publicações anteriores do BetaEQ:

NOÇÕES GERAIS DE PRODUÇÃO DE CACHAÇA: http://betaeq.blogspot.com.br/2013/07/nocoes-gerais-de-producao-de-cachaca.html 

ENGENHO NUNES E GÓES - ENTREVISTA PROFESSOR JOÃO NUNES DE VASCONCELOS: http://betaeq.blogspot.com.br/2014/03/engenho-nunes-e-goes-entrevista.html 

Referências:

www.revistadinheirorural.terra.com.br
www.ampaq.com.br
www.canabrasil.com.br
www.alambiquessantaefigenia.com.br
www.ciamuller.com.br
www.ypioca.com.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário