sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O ENGENHEIRO QUÍMICO COMO GESTOR EMPRESARIAL E SUAS TOMADAS DE DECISÃO FRENTE AOS DESAFIOS NAS ORGANIZAÇÕES

(Texto enviado pelo Trainee Beta EQ e estudante da UTFPR, Jocirlei Felicio)

Em um mercado mutável e competitivo, as organizações exigem cada vez mais de seus gestores novas posturas para com seus colaboradores e comprometimento em relação à produção. Em síntese, uma equipe engajada e motivada faz com que a produção seja beneficiada e o cumprimento das metas seja atendido.


Com isso, engenheiros químicos com cargos de gerentes, diretores e até mesmo de CEO (Chief Executive Officer) além de possuírem habilidades voltadas para as áreas técnicas, agora se aperfeiçoam em áreas administrativas como Gestão Empresarial. Esse é um dos alicerces para que as metas nas indústrias sejam alcançadas e sua permanência no mercado globalizado seja concretizada. Ela engloba desde a melhor aquisição de matérias-primas, do controle de custos, da distribuição física até o Gerenciamento de Pessoas.

Um dos pontos primordiais como gestor empresarial é a capacidade em que o engenheiro químico através do discernimento saber liderar (e não chefiar), ter um bom relacionamento interpessoal e motivar sua equipe, esses são alguns pontos abordados na Gestão de Pessoas. 

Além disso, tomar decisões adequadas e experiências vividas tornam fatores relevantes para o desenvolvimento da organização, assim como na boa capacidade de julgamento, facilidade em identificar problemas e resolvê-los e hábito de estabelecer metas ambiciosas. 

Sendo assim, com o avanço tecnológico e a exigência das indústrias por novas habilidades de seus atuais e futuros colaboradores, faz com que os engenheiros químicos além de suas competências e atitudes desenvolvam atribuições gerenciais, com uma visão holística a fim de tomar decisões estratégicas em prol do desenvolvimento da equipe e do crescimento organizacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário