terça-feira, 27 de janeiro de 2015

EFEITO LÓTUS: A TECNOLOGIA QUE PROPORCIONA AUTOLIMPEZA PARA AS SUPERFÍCIES

(Texto enviado pelo Trainee Beta EQ e estudante da UFERSA, Wallas Douglas de Macêdo Souza)

Já foi transmitido na TV e há promessas de lançamento de automóveis que possuem uma camada de tinta autolimpante. Fato é, que essa tecnologia já vem sendo estudada há cerca de um ano e está se expandindo para os demais setores industriais. Algum dia você já se imaginou vestindo uma roupa com propriedades semelhantes? Pois é, estes produtos também já estão sendo desenvolvidos.

O efeito lótus recebe este nome baseado na planta de lótus que é nativa da Ásia, e que mesmo em meio a um habitat empoeirado e vulnerável a sujeiras, a planta possui a peculiar característica de manter suas folhas limpas, ao passo de que esta repele toda a água que mantém contato com sua superfície, resumindo, a planta possui poder hidrofóbico.

Semelhante ao que ocorre na folha de lótus, as gotículas de água, ao cair sobre a superfície do material, permanecem com formato esférico, e devido ao ângulo formado entre a superfície e a gotícula, que conta também com o auxílio da fração de ar existente, as gotículas acabam escorrendo e, arrastam por sua vez a sujeira.


Outra nomenclatura que tal efeito recebe é a superhidrofobicidade. Esta que é medida por meio de um goniômetro (instrumento que mede o ângulo de contato estático de uma gota de um líquido com uma superfície em estudo). Quanto maior for o valor desse ângulo, menos susceptível será a interação da água com a superfície. Considera-se superhidrofobicidade quando a angulação existente for maior que 140°.

Como ocorre esse efeito, além da própria declividade entre as superfícies e o auxílio do ar?
Essa resposta pode ser obtida por meio de análises realizadas utilizando aparelhos de microscopia eletrônica em folhas que apresentaram o efeito lótus. Nas análises verifica-se a existência de nanocristais de cera localizados nas superfícies das folhas. Tais cristais, formam uma camada que repele a água, que é então reforçada pela rugosidade da superfície. Essa característica é obtida industrialmente através de nanomateriais organizados na superfície, em virtude da imensa área de contato.

Como citado anteriormente, a técnica vem estudada e busca-se sua expansão na utilização em tintas, revestimentos, tecidos e calçados.

Os revestimentos apresentam-se como uma alternativa bastante promissora, pois as tintas, vernizes e materiais utilizados nas construções podem ser projetadas de forma a apresentar o efeito lótus, por meio de técnicas nanotecnológicas. Tal medida, torna-se uma contribuição ambientalmente correta, pelo fato de dispensarem ou reduzirem a lavagem, e consequentemente para a economia de água e redução de uso de detergentes.

Outra aplicação seria para os painéis solares que encontram-se expostos a poeira, e devido a camada de sujeira acumulada na superfície, perdem parcialmente sua eficiência e reduz sua vida útil. Além de evitar acúmulo de sujeira, a camada de revestimento aumenta a vida útil, haja visto que esta é durável.

Com relação ao tecido, a marca Nano-Tex® já possui tecidos projetados com características semelhantes a folha de lótus, e a aplicação encontra-se na própria fibra do tecido, pois isso impede que a camada que seria aplicada na superfície seja removida no processo de lavagem.

Com base nesse princípio, estão desenvolvendo um material denominado “fluoropore” que é capaz de repelir também o óleo. Seu nome deriva deste ser um polímero super-repelente altamente fluorado.

Veja abaixo o vídeo que mostra em resumo como ocorre este processo e como é disposta a superfície proposta:



Referências:
Disponível em: <http://www.olharnano.com/artigos/4001/63001/O%20efeito%20L%C3%B3tus>.
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=xdzS4-d31n8>.
Disponível em: <http://carplace.virgula.uol.com.br/nissan-testa-nova-pintura-autolimpante-que-podera-ser-opcional/>.
Disponível em: <https://cienciasetecnologia.com/material-repele-agua-oleo/>.

Um comentário:

  1. Agregando valor a postagem, segue o link de um pequeno vídeo do material utilizado em camisas: https://www.youtube.com/watch?v=DLR9ZVxsowY.

    Wallas Souza

    ResponderExcluir