quinta-feira, 4 de setembro de 2014

ENGENHARIA QUÍMICA E A CIÊNCIA DOS MATERIAIS COMPÓSITOS

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ e estudante da UFV, Daniel Tinôco)

A ciência e tecnologia de matérias é uma área do conhecimento humano de grande importância e aplicabilidade. Isso porque o conhecimento das estruturas e características dos compostos permite sua utilização em diferentes situações e contextos.  Desde a Antiguidade, o homem busca potencializar algumas das propriedades dos materiais, a fim de melhorar a eficiência de projetos, ou mesmo processos, sobretudo, na área da Construção Civil e da Engenharia Aeroespacial.


O uso de compósitos tornou-se, assim, a principal forma de alcançar essa melhoria de propriedades, uma vez que, trata-se da combinação física de diferentes materiais, para formação de produtos com novas características. Não havendo interação atômica entre as partes, os compósitos limitam-se a uma união macroscópica de duas fases, denominadas, fase dispersa (fibras e demais partículas, também conhecida como fase estrutural) e fase matricial (contínua), a fim de obter uma eficiência superior dos materiais.

Dentro dessa perspectiva, a Engenharia Química possui uma importância significativa e papel de destaque. Isso se deve aos conhecimentos advindos das ciências naturais, relacionadas às propriedades intrínsecas e microscópicas dos inúmeros compostos existente na natureza, aliados à engenharia dos materiais, que a fazem ser uma ciência completa e necessária para o entendimento dos compostos usados pela indústria e, assim, ser alvo de interesse dos setores que se valem de suas tecnologias. Essas vantagens se expressam por meio dos compósitos, que cada vez mais estão presentes no dia-a-dia do homem.

Com o desenvolvimento tecnológico, o uso dessas substâncias foi crescendo, passando pelas aplicações mais arcaicas, como na construção de botes, pela junção de junco e piche, até as mais modernas, como nas estruturas de aviões e substituição de aço e madeira. Durante as últimas décadas, uma considerável aplicação estrutural foi percebida, em razão, sobremaneira, da possibilidade de se utilizar materiais compósitos, que apresentam boas propriedades mecânicas e leveza, nos projetos de engenharia.

Além desses benefícios, os compósitos possuem a vantagem de serem mais resistentes à corrosão e à fadiga. Alguns estudiosos, ainda, apresentam informações, em seus trabalhos no setor aeronáutico, que comprovam o grau de superioridade dos compósitos, como é o caso dos termoplásticos reforçados com fibras de carbono, que possuem maiores resistência ao fogo, baixa absorção de umidade e grande versatilidade na produção em série de aeromotores.

Essas e outras propriedades são capazes de justificar a importância e utilização dos compósitos na indústria e nas atividades humanas. Elas evidenciam o interesse econômico e produtivo desses materiais, cuja valorização perpassa desde a redução de custos, até a melhoria no desempenho de produtos de valor agregados, obtidos a partir de seu uso.

Além de tudo isso, os compósitos representam mais um objeto de estudo e aplicação da Engenharia Química, o que demonstra seu caráter amplo e diversificado de atuação. Essa amplitude só faz perceber o quanto essa ciência é rica de possibilidades e o quanto um engenheiro químico é capaz de “dialogar” com outras áreas do conhecimento, “registrando sua marca e presença”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário