quarta-feira, 3 de setembro de 2014

CHOCOLATE: O QUE FAZER QUANDO SE TEM ALERGIA À PROTEÍNA DO LEITE OU INTOLERÂNCIA À LACTOSE

(Texto enviado pela Representante Beta EQ e estudante do IFSul, Natalí Tajes Cardozo)

Como ficam os amantes do chocolate quando a intolerância à lactose ou a alergia à proteína do leite não os deixam desfrutar desta maravilha? A diferença desses dois problemas está na substância do leite, enquanto a alergia está ligada à proteína do leite de vaca, a intolerância está relacionada com o açúcar desse mesmo produto.
 

A alergia é causada pelas proteínas que estão presentes no leite de vaca, principalmente a globulina, que é identificada pelo corpo como um agressor que precisa ser eliminado. A alergia é descoberta quando a criança já não é mais amamentada (pois o leite materno não causa alergia), e acaba introduzindo o leite de vaca na sua alimentação. A alergia é mais comum em crianças e tem os sintomas de vômitos, diarreia, prisão de ventre, dermatites, perda de peso e problemas respiratórios. Esse problema pode ser descoberto através de um exame nomeado “teste do desencadeamento”. A boa notícia é que um número pequeno de pessoas continuam alérgicas o resto da vida, geralmente há uma melhora por volta de um ano de idade e a criança está curada por volta dos três.

A intolerância é a dificuldade que o corpo tem de digerir o açúcar do leite, ela é resultante de outro problema: a deficiência da lactase, que é uma enzima que o corpo produz cuja função é fazer a quebra da lactose e transformá-la em glucose e galactose. Além de ser genética, é mais comum em adultos, sendo que há uma tendência natural do homem desenvolver intolerância com o passar dos anos. Os sintomas são parecidos com os da alergia: diarreia, vômitos, cólicas, e acontece pouco tempo após a pessoa ter ingerido algum alimento contendo leite de vaca. A notícia ruim aqui, é que, a pessoa que tem intolerância, tende a permanecer com ela pelo resto da vida.

Pesquisas apontam que 70% dos brasileiros possuem intolerância à lactose, e o que fazem os amantes do chocolate¿ Alimentos alternativos estão sendo pesquisados para substituir esta delícia e deixar os intolerantes e alérgicos mais felizes.

A alfarroba é uma opção para os que não podem ingerir chocolate, ela é uma vagem que, extraída a polpa, torrada e moída, obtém-se o pó que será usado na substituição do cacau. Além de nutritiva, a alfarroba é isenta de lactose, glúten, açúcar e cafeína, ela também é mais saudável rica em vitaminas e minerais.

Outra opção para quem tem intolerância ou alergia é os chocolates puro cacau (amargo) e os chocolates de soja. Os chocolates puro cacau são aqueles que contêm apenas cacau e açúcar, eles possuem, em média, 80% de cacau. Com 29% menos calorias que o chocolate convencional, o chocolate de soja não possui lactose nem açúcar. Para não ficar com o sabor da soja, o chocolate é feito do extrato hidrossolúvel da soja. Ao invés do leite de vaca, é utilizado o leite de soja na sua fabricação e na substituição do açúcar foi colocada a sucralose. Ele é bom tanto para quem tem alergia á proteína do leite e quem tem intolerância à lactose, como pra quem tem diabetes.

Temos mais uma opção no mercado para intolerantes: a enzima lactase. Essa enzima, que é aquela faz a quebra da lactose, é encontrada na forma de pó ou em comprimidos, que a pessoa toma antes de consumir o produto com lactose ou coloca sobre o alimento, pode ser utilizado também no preparo do alimento, como por exemplo, um bolo.

Agora cabe a nós, Engenheiros Químicos, a pesquisar novos produtos e alimentos que substituam o chocolate, até porque não poder comer o doce mais gostoso que existe é muito triste.

Referências:
http://www.alergiaaoleitedevaca.com.br/entenda_alergia.php?id=24
http://www.semlactose.com/index.php/2008/02/18/alergia-ao-leite-de-vaca-x-intolerancia-a-lactose/
http://www.semlactose.com/index.php/2013/02/20/enzima-lactase-agora-disponivel-no-brasil/
http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2013/09/mesmo-sabor-diz-pesquisadora-que-criou-chocolate-de-soja-sem-acucar.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário