quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A INDÚSTRIA DE ARMAS QUÍMICAS

(Texto enviado pela Representante Beta EQ e estudante da UNIOESTE, Fernanda Rengel)

O desenvolvimento da indústria química acontece em grande parte quando ocorre situações extremas, as guerras, por exemplo. E é nesse contexto que as armas químicas evoluíram.  As armas químicas, também chamadas de “bomba atômica dos pobres”, podem ser produzidas por indústrias de pesticidas ou fertilizantes que possuam uma tecnologia mediana.


Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) ocorreu a utilização das armas químicas. Em 1915, o cientista alemão Fritz Haber fez uso de gás cloro durante o combate na cidade belga de Ypres.  Neste combate houve 5 mil mortos e 10 mil feridos.  O cloro é um gás sufocante, este irrita e resseca as vias respiratórias. No ano de 1918, Fritz Haber ganhou o prêmio Nobel em química por descobrir um processo de síntese de amônia pela combinação com hidrogênio e nitrogênio.

A função do engenheiro químico numa indústria desse setor é basicamente o mesmo que presta em outros tipos de indústrias, elaborar os processos de conversões químicas e operações unitárias.  As conversões são as reações entre produtos químicos nos reatores, já as operações unitárias podem ser destilação, filtração entre outras. A diferença no processo produtivo de gases tóxicos está nos rigor da segurança de quem lida com o material a ser fabricado.

Algumas das armas químicas militares são: gás mostarda, Sarin, DFP, VX, Tabun entre outros. Vamos conhecer um pouco mais sobre dois desses.

-    Gás Mostarda: é um agente químico (Cl – CH2 – CH2 – S – CH2 – CH2 – Cl), em geral é utilizado por forças policiais e militares. Foi produzido pela primeira vez em 1822, na Inglaterra. Este gás provoca irritação nos olhos e feridas na pele e quando inalado pode matar por asfixia. Outro efeito é o rompimento dos vasos sanguíneos, provoca morte dolorosa de 3 a 5 minutos se estiver em contato direto com o mesmo. O gás mostarda é uma substância incolor, líquida, oleosa, muito solúvel em água e muito tóxica.  O antídoto para este gás é a reação com o cloro, ou NaOCl, ou ainda, Ca(OCl)2, ocorrendo assim a formação de compostos atóxicos.

-  Sarin: (C4H10FO2P) é uma substância tóxica que atua sobre o sistema nervoso, é uma substância líquida, muito tóxica, solúvel em água e com odor adocicado.   Pouco tempo após a exposição uma pessoa pode morrer. A morte se dá pelo ataque à musculatura. Ou seja, o indivíduo contaminado perde a capacidade de sustentar funções básicas, como a respiração ou batimentos cardíacos. Em caso de contaminação, a medida mais adequada a ser tomada é a remoção das roupas e lavagem do local contaminado.

Muitos países não divulgam que fabricam esse tipo de artefato, mas o fato é que até hoje se faz o uso dessas armas químicas, que além de cumprir o objetivo de “atacar o inimigo” coloca em risco a vida dos militares que utilizam estas.

Fonte:
http://super.abril.com.br/ciencia/armas-quimicas-biologicas-ciencia-servico-mal-439032.shtml
http://esquadraodoconhecimento.wordpress.com/ciencias-da-natureza/quim/armas-quimicas/
http://www.educacional.com.br/reportagens/armas/quimicas.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário