quarta-feira, 6 de agosto de 2014

ENTENDENDO O GRANDE NÚMERO DE ENGENHEIROS RECÉM-FORMADOS DESEMPREGADOS

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ e estudante da UFRuralRJ, Filipi Melo)

Muito se fala do enorme déficit  de engenheiros, que a engenharia é a profissão em que os caminhos são os mais simples para uma boa remuneração, as facilidades  da profissão do momento. Situação que não é vista pelos engenheiros recém formados, que tem de se submeter a longos períodos sem emprego participando de incontáveis processos seletivos, ou submeterem-se a cargos que tem remuneração bem aquém à devida.

O setor tecnológico nacional exige cada vez mais uma mão de obra específica. Não se quer apenas um Engenheiro Químico, se quer um Engenheiro Químico com especialização em Segurança no Trabalho e cinco anos de experiência em processo de fabricação. Isso torna a vida de um recém formado bem difícil. Uma boa especialização ou MBA em engenharia é cara, e é óbvio que um recém formado não tem experiência. 

No Brasil, existe, em geral, um distanciamento entre a indústria e a universidade e é necessário para o recém formado uma vivência mínima pelo funcionamento da empresa. Como no Brasil a indústria quer, geralmente, apenas tapar um buraco na grade de funcionários, ela opta por procurar um profissional “pronto”; quando não acha, seja por oferecer salário inadequado ou pelo funcionário ser realmente escasso no país, divulgam a enorme falta de engenheiros.

A resposta para o problema da engenharia pode parecer bem simples: cada vez mais formam engenheiros, bastam capacitá-los. Como? Cursos, MBA, dar a vivência nos diferentes ambientes industriais. Com qualificação adequada rapidamente seriam formados os profissionais tanto necessários, porém ao invés disso a indústria insiste em não qualificar o profissional. Eles, sem experiência, tem de se sujeitar a qualquer salário buscando adquirir um currículo mais competitivo, o que irá acontecer apenas na área em que o formado atuar, o que não vai ser tão agregador no currículo. Resta aos engenheiros sempre buscar bons estágios, empresas que invistam verdadeiramente na formação de seus funcionários e não buscam apenas pagar pouco pelo maior tempo possível e tentar mudar a visão do empresariado brasileiro.

Referência: http://blogdaengenharia.com/entendendo-falta-de-engenheiros-mercado/

Nenhum comentário:

Postar um comentário