segunda-feira, 14 de julho de 2014

SEMANAS ACADÊMICAS: UMA APRENDIZAGEM SEM FIM

(Texto do Representante Beta EQ e estudante da UFV, Daniel Tinôco)

A Universidade Federal de Viçosa (UFV) sempre se destacou dentre os principais centros de ensino e pesquisa do Brasil, tanto no aspecto de incentivo ao desenvolvimento de novas tecnologias, a nível nacional e internacional, quanto no fomento às atividades acadêmicas, encabeçadas e realizadas pelos seus alunos e professores. Uma dessas atividades é a Semana Acadêmica de seus cursos, momento de grande aprendizagem e de contato com a realidade profissional.

Uma semana acadêmica é mais do que algumas horas voltadas mais a fundo para a dinâmica de um curso e de uma profissão, mas a oportunidade de conhecer as novas tendências do mercado, estreitar contatos, que no futuro poderão “abrir portas”,  atualizar currículo e se preparar, técnica e motivacionalmente, para toda realidade que se faz e se fará presente na carreira de qualquer estudante. Sendo assim, toda semana acadêmica cumpre seu maior e mais importante objetivo: o de aliar, em um só evento, conhecimento teórico, mercado de trabalho e perspectivas profissionais, o que o torna uma atividade de extrema necessidade para qualquer curso superior.

A Engenharia Química da UFV vem se preparando, há um bom tempo, para propiciar aos seus alunos uma enriquecedora experiência de sucesso. Ela espera repetir em 2014, ou até mesmo superar, o nível de qualidade de seu evento, comparado aos anos anteriores. Para isso, abordará a temática: “Inspirando caminhos, para projetar o futuro”. Contando com a presença de  profissionais de renome do setor de Engenharia Química, dará enfoque às suas principais conquistas e ações, responsáveis por uma vida de inspiração e de sucesso, o que servirão de exemplos concretos a cada estudante do curso, desde calouros até formandos e recém-formados.

Uma novidade em 2014, para a Semana Acadêmica de Engenharia Química e Química, SAEQQ, é a presença do Presidente e Fundador do Projeto Beta EQ, Kaíque Santos. Ele discorrerá sob essa iniciativa inspiradora, que tem crescido e se tornado referência dentro da Engenharia Química do país. Com uma plataforma virtual interativa, diariamente atualizada e implementada com textos de representantes de todo o Brasil, o Projeto Beta EQ é o resultado de um sonho e, certamente, ajudará a inspirar, ainda mais, os caminhos almejados pelos estudantes da UFV, de maneira especial. É, portanto, uma grande oportunidade para o curso de Viçosa, em se tratando de estabelecimento de laços e parcerias.

Além da SAEQQ, a UFV conta com outras semanas acadêmicas de importância considerável, sendo a SAEG, Semana Acadêmica das Engenharias, Agronomia e Geografia, uma delas. Com a motivação de unir todas os profissionais e estudantes vinculados ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia - CREA, o evento visa, além do que é esperado para um evento desses, apresentar um pouco mais sobre esse órgão regulamentador, que fará parte do dia a dia de muitos. Para tanto, demonstrará sua relevância e importância para o desenvolvimento de atividades e projetos.

Na UFV, o CREA-MG é representado pelo Movimento CREA-Jr – Núcleo Viçosa, que, em 2014, vem se organizando para a sua II SEAG (pois com a saída da Arquitetura do Conselho, o evento foi reformulado), cuja temática a ser abordada será: “Sustentabilidade e Tecnologia: um novo olhar industrial”. Com esse evento, o Movimento Júnior pretende proporcionar a boa parte dos alunos da universidade um contato significativo com essa nova tendência de mercado. Sendo assim, receberá representantes de algumas empresas do Estado, como Petrobrás, CENIBRA e Vale. Essas empresas mostrarão como têm sido os seus investimentos em tecnologias alternativas e menos impactantes ao ambiente, e como são estabelecidos seus planos de ações, com base nessas perspectivas sustentáveis. Será, assim, momento de construção do saber, essencial para a sobrevivência e manutenção de qualquer profissional, hoje, no mercado de trabalho.

Diante desses exemplos e sabendo da existência de tantos outros, percebe-se a importância e necessidade de apoio e incentivo, por parte das universidades, de eventos acadêmicos voltados ao crescimento e enriquecimento técnico dos estudantes, sendo as Semanas Acadêmicas bons exemplos desses. Isso porque, enquanto atividades extracurriculares, são capazes de sanar, ainda que de forma parcial, o distanciamento academia-mercado de trabalho, muitas vezes presente nos cursos  que não visam a formação de pesquisadores, mas de profissionais para a indústria. Além de serem responsáveis pelo contato prático, por meio de seus mini-cursos, de assuntos não vistos na grade curricular convencional, mas que se fazem necessários para uma melhor capacitação técnica dos estudantes.

Assim, as semanas acadêmicas são merecedoras de destaque e reconhecimento, principalmente, enquanto ferramentas de consolidação da realidade profissional e técnica de qualquer aspirante ao mercado de trabalho.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário