terça-feira, 8 de julho de 2014

PROJETOS DE EXTENSÃO: ACADÊMICOS A SERVIÇO DA COMUNIDADE

(Texto enviado pela Representante Beta EQ e estudante da UNIOESTE, Fernanda Rengel)

Os projetos de extensão feitos nas universidades têm por finalidade, resolver ou amenizar algum problema crítico, a fim de melhorar a vida da comunidade. Cabe aqui ressaltar a diferença entre um projeto de extensão e um projeto de iniciação científica. A iniciação científica, não tem como foco beneficiar a comunidade diretamente, estes projetos, por vezes, são apenas para desenvolver pesquisas internas, por exemplo, melhorar uma metodologia.


Mas aí, você acadêmico me pergunta: “Como faço para participar de um projeto de extensão?” O primeiro passo é escolher uma área de seu interesse e um professor que atue nela para orientá-lo. Posterior a isso, o acadêmico, juntamente com seu coordenador, desenvolve algum projeto de pesquisa tentando solucionar ou melhorar algum processo, por exemplo, ajudar a padronizar o processo e as condições de higiene de uma agroindústria ou ainda, elaborar um projeto para tratamento de resíduos de pequenas indústrias. 

A maior vantagem de se fazer um projeto de extensão é que todos os envolvidos se beneficiam, o acadêmico irá conseguir ter uma visão muito mais abrangente dos problemas de determinados processos, buscando aliar todo o seu conhecimento teórico com o prático, além de se envolver com a comunidade, de procurar repassar seu conhecimento para a população local a fim de que estes consigam melhorar suas pequenas indústrias. 

Para mostrar os diferentes pontos de vista sobre os projetos de extensão, conversei com uma acadêmica, uma professora orientadora, um produtor beneficiado, além da Assistente Social da EMATER que faz parceira com a Universidade Estadual do Oeste do Paraná no desenvolvimento de alguns projetos. 

Quando questionados sobre a importância dos projetos de extensão estes citaram que:

Profª Dra. Mônica Fiorese “Acredito que é através dos projetos de extensão que a Universidade interage com a comunidade na qual está inserida, e isto ocasiona uma troca de conhecimentos em que a universidade aprende com a comunidade, absorvendo seus valores e cultura e a universidade repassa os conhecimentos teóricos e científicos. A extensão universitária é uma forma de estabelecer uma relação entre ensino superior e sociedade, sendo imprescindível para a formação de cidadãos comprometidos com a realidade social”. 

Para a acadêmica Gabriela Helbing “O projeto de extensão consegue trazer conhecimento aos beneficiados muitas vezes de modo gratuito ou com um custo reduzido. Além de beneficiar a população, que é consumidora, no nosso caso - queijos e nata -, dos produtos analisados. Em relação aos produtores a importância está em ajudarmos eles a melhorar os seus lucros, já que o produto terá uma melhor qualidade depois das melhorias propostas, assim como prevenir algum possível problema referente a legislação, que poderiam ter caso seus produtos fizessem mal a população, o que acarretaria em multas ou até mesmo processos”.

Já a Assistente Social Claudete Frasson diz que: “Considerando que o ensino, pesquisa e extensão são as três funções básicas da Universidade, é através dos projetos de extensão que a universidade pode interagir com a comunidade e contribuir com seus conhecimentos no desenvolvimento local”.

Por fim, a opinião de um beneficiado, o produtor rural Alexandre: “Os projetos de extensão ajudam os produtores a terem mais confiança no procedimento que estão fazendo, além de ajudar a melhorar a qualidade do produto final”.

Analisando as diferentes opiniões dos entrevistados, notamos que os projetos de extensão beneficiam todos os envolvidos, permite que os acadêmicos aliem conhecimento teórico e prático, formando além de profissionais, cidadãos comprometidos com a comunidade na qual estão inseridos.

Agradecimentos aos entrevistados: Profª Dra. Mônica Fiorese, Gabriela Helbing, Claudete Frasson e Alexandre. 

Um comentário: