quinta-feira, 31 de julho de 2014

O METANO BOVINO E O EFEITO ESTUFA

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ e estudante da FURG, Matheus Alves Lopes)

Os Relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) indicam as atividades humanas que liberam dióxido de carbono no ambiente como as principais responsáveis pela intensificação do efeito estufa. Porém, existem outros gases que geram o mesmo efeito e que não são liberados em sua totalidade pelo homem, como por exemplo, o gás metano.


Incolor e de alto poder calorífico, o gás metano pode ser produzido de diversas formas. Dentre estas, destaque-se a liberação de metano por bovinos. As grandes quantidades de metano lançado pelas vacas são agora causa de inquietação, já que 18% dos gases de efeito estufa são emitidos por bovinos, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

O aumento da preocupação com o meio ambiente fez com que as emissões bovinas se tornassem assunto para muitas pesquisas científicas. Estas inciativas, em geral, apresentam um objetivo comum: retirar esse gás do ambiente e utiliza-lo como combustível.

Em abril deste ano, cientistas argentinos do Instituto Nacional da Argentina de Tecnologia Agropecuária desenvolveram uma espécie de bolsa coletora (capaz de armazenar 300 litros de metano) que, através de um tubo inserido no aparelho digestivo, recolhe o gás que depois é transformado em energia. Tendo em vista que cada animal produz por ano 4,8 toneladas de gás, esta inovação poderia solucionar a dependência mundial de petróleo e atenuar o efeito estufa.


Outra pesquisa de mesmo cunho vem sendo realizada na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Nacional (UN), em Bogotá. Na edição de julho do jornal UN Periódico, cientistas colombianos publicaram um estudo que propõe reduzir a emissão de gás metano de um rebanho baseado em uma dieta. Segundo o estudo, incorporar diferentes tipos de óleos na alimentação dos ruminantes permite reduzir as emissões de metano. Efetivar sistemas silvo-pastoris é outra estratégia recomendada. Isto supõe incluir arbustos na dieta do gado, aumentando a qualidade da digestão dos ruminantes.

Segundo estatísticas divulgadas pelo UN Periódico, uma vaca adulta pode liberar gás metano equivalente ao CO2 gerado em um dia por um carro.
Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário