terça-feira, 3 de junho de 2014

O PROCESSO DE GALVANIZAÇÃO

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ Filipi Melo)

Começando nossa saga pelos processos de passivação do aço comum, tão usado na vida industrial e doméstica, falaremos hoje sobre um dos meios mais utilizados pela indústria: o processo de galvanização.


Em 1837 o engenheiro Sorel patenteou a galvanização a fogo. O termo "galvanização" advém do nome Luigi Galvani (1737-1798), um dos primeiros cientistas interessados em eletricidade. A galvanização, porém, é a aplicação de uma camada protetora de zinco a um metal, principalmente o ferro para inibir a corrosão. Quanto maior a camada de zinco maior a proteção.

O processo de zincagem pode ser dividido em: zincagem por imersão a quente ou a fogo; zincagem por galvanização eletrolítica ou a frio; zincagem por aspersão térmica. Sendo que o método que melhor protege o ferro da corrosão, com custos competitivos, é a zincagem a quente - sendo muito utilizada.

Uma etapa das mais importantes para uma boa camada protetora de zinco, é a preparação da superfície, que deve ser livre de óxidos de ferro e tintas, que podem ser eliminados com soluções de ácidos fortes (sulfúrico, nítrico) ou em casos severos mecanicamente (jatos de areia). Além disso, o metal deve ser desengordurado para uma boa fixação da camada protetora.  

A galvanização tem dupla função na passivação do aço. Uma delas é que o zinco forma óxidos estáveis na superfície do metal impedindo a ação da umidade, sal e de outros meios corrosivos (muito útil para industria naval, de petróleo, e para aquela grade da casa da praia que insiste em enferrujar). Ainda, o fato do zinco (-0,76 redox) ser um metal menos nobre que o ferro (-0,44 redox), fazendo com que em caso de exposição de áreas de aço ao meio agressivo, o zinco porta-se como metal de sacrifício aumentando muito a vida útil da peça.


Os processos de passivação são cotidianos na vida de um engenheiro que trabalha em ambientes de corrosão severa e por isso seu uso é tão importante para os Engenheiros Químicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário