terça-feira, 24 de junho de 2014

AIChE: A CASA GLOBAL DOS ENGENHEIROS QUÍMICOS

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ e estudante da UNIOESTE, Fábio Leite)

O Instituto Americano de Engenheiros Químicos, também conhecido com AIChE, é uma organização profissional de engenheiros químicos que contém mais de 45 mil afiliados em mais de 100 países pelo mundo. Em terras tupiniquins, existem dois Student Chapters (assim são chamadas as filiais locais voltadas a acadêmicos de engenharia química desta instituição): o AIChE Maringá (2011) e o AIChE Toledo (Final de 2011).


O AIChE foi trazido para o Brasil por meio de uma iniciativa em conjunto do professor titular do departamento de Engenharia Química da UEM, Dr. Flávio Faria Moreira, e um gringo muito famoso em nosso curso - o autor de “Cálculos com Reatores; O Essencial da Engenharia das Reações Químicas” (bibliografia básica da nossa querida, ou nem tanto, matéria de cálculos com reatores) - H. Scott Fogler. A parceria surgiu durante a tradução para o português da terceira edição do livro supracitado. Sendo assim foi implantado em 2011 o AIChE.

Integrar parte do AIChE traz diversas vantagens, como conhecimentos exclusivos nos diversos ramos que nosso curso oferece, variando da indústria de energia a inovações da bioengenharia, passando por campos como nanotecnologia, robótica, automoção, inovações ecológicas, tecnologias de processamento e programação. Tendo acesso a biblioteca virtual, texto de grandes pesquisadores, revistas, o famoso AIChE Journal, programas de treinamentos, web palestras e intercâmbio cultural e de nível técnico com acadêmicos de outros países e de engenheiros muito bem graduados.

Enfim, é difícil falar do AIChE sem falar em inovação. Poucas são as instituições com mais de cem anos de história que conseguem se manter inovando em um mundo em que o de hoje era para ontem. Chapters também conseguem passar essas inovações, não somente aos seus integrantes, mas também a todos os acadêmicos que cercam esse grupo de associados - o qual promove visitas técnicas, palestras, mesas redondas, grupos de debate, campanhas filantrópicas, promovem e financiam projetos de cunho acadêmicos.

Não é a toa que vemos tantas vezes essa sigla em biografias de trabalhos e de artigos - nos quais, principalmente, aparecem o AIChE Journal como um dos principais veículos de informação dessa instituição.

Em nível mundial, o AIChE possui 180 Chapters, dos quais 160 encontram-se em território norte-americano, e 20 espalhados pelo mundo. Cada Chapter fora dos EUA possui um Chapter irmão na terra do tio Obama - o que possibilita a integração de todos os membros, de forma muito semelhante a uma família. Não é por coincidência que o slogan dessa instituição é: “The Global Home of Chemical Engineers”.

Chapters estrangeiros também se comunicam. O exemplo mais recente são os membros do Chapter do Egito, que recentemente entraram em contato com membros do AIChE de Toledo.

O primeiro AIChE brasileiro, logo que iniciou suas atividades, já auxiliou a formação de uma Student Chapter sister, o  Chapter Toledo. Hoje, Toledo possui cerca de 20 membros, mas sua história já é longa comparada com a sua idade!

E aí, gostou de saber o que era aquela sigla nos rodapés de livros e nas linhas de referências? Surpreendeu-se em saber que o Fogler faz parte da história do AIChE no Brasil? Olha lá no Wikipédia (segundo parágrafo do artigo em português sobre Engenharia Química), a melhor definição da nossa profissão está lá, e adivinha de quem é? E se você se interessou pelo AIChE, fica de olho que ainda sai mais um texto sobre este tópico, com informações de como se associar, ou até mesmo fundar um Chapter.

EXTRA:
Link para o canal no YouTube do AIChE (https://www.youtube.com/user/ChEnected), o qual é possível acessar vídeos de competições e torneios promovidos pelo o AIChE, além de informações e pequenas entrevistas com importantes engenheiros químicos de todo o mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário