terça-feira, 13 de maio de 2014

NANOTECNOLOGIA APLICADA A ENGENHARIA QUÍMICA

A nanotecnologia baseia-se nos estudos e manipulação de matérias em escala nanométicas, juntando esforços de áreas de estudos atualmente segregados, tais como: química, biologia, física e a ciência dos materiais.


O ato fundador da área nanotecnológica teria sido a palestra, proferida em 1959, pelo físico norte-americano Richard Feynman (1918-1988), já a palavra nanotecnologia teve seu cunho em 1974, pelo pesquisador japonês Norio Taniguchi (1912-1999). A paternidade, porém, da tecnologia nanométrica teórica seria do primeiro doutor na área, o engenheiro norte-americano Eric Drexler, autor do livro “Engenhos da criação: o advento da era da nanotecnologia”, de 1986, que teve um papel fundamental na disseminação desta área.

Na década de 80, com a descoberta das moléculas com 60 átomos de carbono, os fulerenos, e a invenção dos microscópicos de varredura de prova, com o qual a manipulação átomo a átomo passou a ser, de fato, possível, abriram as portas para a era da nanotecnologia.

Aplicações da nanotecnologia


Como vimos acima, em um breve resumo histórico, a nanotecnologia ainda é um ramo da ciência muito nova, logo, apesar de ser um ramo em expansão, seus projetos ainda não são suficientemente viáveis financeiramente falando.

Esta tecnologia promete em sua fase madura, um impacto significativo em grande parte de segmentos industriais e áreas sociais, porém, é claro que ela não será a glória e a solução para todo problema, no entanto, sua utilização a nível global poderá ter grande impacto comparado à Revolução Industrial.

Aplicações atuais da nanotecnologia

Por motivo da “Revolução Nanotecnológica” estar apenas iniciando, suas aplicações ainda são bem reduzidas, contudo existem diversas áreas que já desfrutam do auxílio da nanotecnologia (veja figura abaixo). Sua aplicação atual no mercado é essencial na área dos nanomateriais, nomeadamente em revestimentos químicos, daí se dá a importância da contribuição da Engenharia Química para o progresso atual da nanotecnologia.
São exemplos de aplicabilidade:
  •       Embalagens para alimentos com nanopartículas de prata que tem propriedades antibacterianas;
  • ·         Raquetes de tênis, sticks de hóqueis e afins desportivos reforçados em suas zonas críticas com nanotubos de carbono.
  • ·         Papéis de parede antibacterianos, revestidos com nanopartículas de óxido de zinco, para usar, por exemplo, em hospitais;
  • ·         Utilização de nanopartículas de ouro com afinidade específica a células cancerosas.


A nanotecnologia futurística

A versatilidade prática da nanotecnologia é praticamente interminável. Possibilidades para os mais diversos produtos ainda abundam somente nas mentes de muitos. Como dizia Feynman: “no ramo da nanotecnologia, o homem está a tentar trabalhar com átomos e moléculas, - milhões de vezes inferiores em tamanho – por isso, a dificuldade de muitas invenções em passarem da teoria à prática”.

São exemplos de aplicabilidades da nanotecnologia no futuro:
  •      Projetos nanoeletrônicos, com planos para nanorobôs, programáveis para executar todo o tipo de tarefa de abrangência medicinal, auxiliando no controle e cura de doenças;
  • ·  Na informática, com possíveis existências de nanocomputadores com a mesma capacidade de processamento e armazenamentos de informações de um computador atual;
  • ·   Projetos de nanofábricas mais eficientes e rentáveis, sobretudo pela perspectiva de ultrapassar o modelo atual, se produzidas em massa.

Contudo, como estamos tratando de ciência, o futuro da nanotecnologia reserva ainda grandes segredos, cabendo aos cientistas desmistificá-los de maneira a inovar, pois as possibilidades são infinitas.

Onde estudar?

Caso você tenha se interessado pelo universo nano, saiba que já há dois cursos de graduação no país: na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Algumas universidades oferecem ainda mestrados na área: a Universidade Federal do ABC em Santo André (São Paulo), o Centro Universitário Franciscano em Santa Maria (Rio Grande do Sul) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Referências Bibliográficas



Nenhum comentário:

Postar um comentário