quarta-feira, 28 de maio de 2014

ÁREAS PROMISSORAS NA ENGENHARIA QUÍMICA

(Texto enviado pelo Representante Beta EQ João Paulo Werdan)

A graduação em engenharia química nos possibilita seguir diversas vertentes na profissão ou áreas de trabalho e é ainda na graduação que devemos decidir qual assunto se enquadra melhor em nosso perfil, pois na hora de entrarmos no mercado de trabalho é importante que estejamos focados na área de atuação na qual mais nos identificamos, além disso, devemos ser influenciados por áreas que veem se mostrando promissoras e importantes na engenharia química como bioprocessos, nanotecnologia, engenharia verde...

A perspectiva futura para o Engenheiro Químico é bastante promissora, não se limitando a ações para minimizar o impacto humano sobre a natureza. Muitas áreas de atuação atual, tais como petróleo, papel e celulose, entre outros, manterão seu destaque nas próximas gerações. Por outro lado, uma série de oportunidades se configura como desafios futuros para nossa profissão, visto a falta de profissionais aptos para estas áreas frente ao aumento de demanda e o fato destas estarem raramente presentes em matrizes curriculares como disciplinas obrigatórias, tais como:
  • Nanotecnologia: que está associada à produção de compostos em escala atômica (ou nano), onde estruturas e novos materiais são projetados a partir dos átomos. Atualmente, uma vasta gama de produtos de estrutura nano tem sido estudados, dentre os quais se destacam medicamentos, novos materiais, cosméticos, entre outros.
  • Bioprocessos: processamento de biomateriais a partir de agentes como enzimas, bactérias e leveduras é o cerne dos bioprocessos. O desenvolvimento de tais processos exige conhecimentos não só de biologia, mas também de Engenharia Química a fim aproximá-los do meio industrial.
  • Engenharia metabólica: foca na produção de compostos através da manipulação de caminhos de transdução de sinais, através da Engenharia Genética.
  • Engenharia verde: desenvolvimentos de produtos e processos onde o impacto sobre o meio ambiente é nulo ou muito pequeno. Além disso, as matérias primas são de fontes renováveis. Um exemplo é o plástico verde, que está sendo produzido a partir de etanol.
  • Engenharia criogênica: processos que envolvem temperaturas muito baixas. Há aplicações de Engenharia Criogênica em diversas áreas, tais como separação de compostos do ar, produção de hidrogênio, entre outros.
  • Engenharia de tecidos: este campo se preocupa com a modelagem do funcionamento de órgãos do corpo humano, como o pulmão e coração. Além disso, há o desenvolvimento de materiais poliméricos biocompatíveis, que podem ser utilizados no desenvolvimento de tecidos e órgãos.
A Engenharia Química ocupa uma posição privilegiada e de grande responsabilidade, em relação à abordagem e solução de problemas tecnológicos relevantes para a humanidade, direcionados a áreas vitais como água, alimentos, energia e ambiente, em que o esforço científico e tecnológico visa à obtenção de novas fontes e o desenvolvimento de processos econômicos de produção, purificação, geração, distribuição e preservação.

Essas são apenas algumas áreas do vasto campo de trabalho seja industrial, no laboratório ou escritório que podemos seguir e já começar a nos especializarmos ainda na graduação.



João Paulo Werdan Curty Estephaneli 

Nenhum comentário:

Postar um comentário