sexta-feira, 21 de março de 2014

POR QUE INFORMATIZAR O "INFORMATIZÁVEL"?

A aceleração crescente e desenfreada da tecnologia vem mudando muitos conceitos e de certa forma mudando carreiras que anteriormente eram ditas como essenciais em uma planta industrial e atualmente não tem tanta prioridade assim.


A busca pela implementação de métodos ligados a informatização de grande parte das etapas de um processo industrial é o que nos deixa um pouco desesperados e com a seguinte pergunta: Depois que eu me formar, terei um emprego já que tudo está tão automatizado?

Não só a mim, mas a grande parte das pessoas se questionam quanto a isso ao parar e pensar em um período de cerca de 10 anos atrás, grande parte de uma montadora de carros, por exemplo, era feita manualmente o que hoje em dia pode ser observado que foi substituído por robôs. Esses robôs são uma grande vantagem para nós (como consumidores) visto que uma programação de maneira correta minimizará os erros que podem ser cometidos em quase 99,99%  e para a industria é muito mais vantajoso pois pode ser trabalhado no período 24/7 e não exigir hora extra, insalubridade, etc.

O ser humano é adaptável a situações adversas e isso tem que fazer parte do nosso vocabulário, principalmente como futuros engenheiros, visto que diversas situações poderão ocorrer em lugares inusitados e você contratado pela empresa terá de buscar as melhores e mais viáveis soluções. Como engenheiros do “futuro” temos que abrir nossas mentes, e buscar da melhor maneira possível conciliar os conhecimentos adquiridos durante a graduação com os conhecimentos de informática. Acredito que a curto/médio prazo os conhecimentos aprofundados nas áreas de programação para qualquer carreira que seja será como o inglês, inicialmente era considerado um diferencial, hoje em dia é um pré-requisito.


Com isso finalizo dizendo que devemos nos desafiar e aceitar desafios que a vida nos propõe, para que nos tornemos engenheiros e cidadãos mais adaptáveis e prontos para encarar o que nos aguarda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário