terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

AS REAIS POSSIBILIDADES PARA UM FORMADO EM ENGENHARIA

A graduação em Engenharia no Brasil exige, no mínimo, cinco anos de dedicação, nos quais o estudante cursa, logo nos primeiros meses, matérias básicas que darão futuramente suporte para as específicas, cursadas em um período mais avançado. O que ainda é destacável é que esses cinco anos podem ser estendidos para uma especialização na área de interesse e que há reais possibilidades para aqueles que querem seguir a carreira acadêmica inclusive no exterior - o que tem sido uma opção muito apreciada pelos estudantes.


            Dentre as opções para a pós-graduação no exterior, existem o Mestrado/Doutorado Sanduíche e o PhD. Para os dois primeiros títulos, o estudante deve estar matriculado há pelo menos um ano em curso de pós de uma universidade ou faculdade brasileira. A bolsa propõe a oportunidade de fazer um intercâmbio de estudos, para que o estudante possa aprofundar o seu conhecimento em relação à sua área de pesquisa, conseguir novos recursos e informações para a sua tese, que deverá ser defendida no Brasil. É, resumidamente, uma chance de expandir os seus horizontes teóricos e práticos em outro país para enriquecer a sua pesquisa acadêmica. A CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) oferecem bolsas de doutorado sanduíche tanto para brasileiros irem para o exterior, quanto para trazer estrangeiros em universidades brasileiras.

            Já o PhD, sigla para Doctor of Philosophy, é para quem conclui um doutorado no exterior. Ser doutor demonstra que possui total desenvoltura e domínio sobre um assunto. O diploma de PhD é outorgado em inúmeras disciplinas. Ser PhD significa ser capaz de se envolver em experiências do pensamento e da razão para solucionar problemas em sua área de estudo, de forma sofisticada. Apesar de existir alguns cursos de pós-doutorado, o PhD é visto como o último passo na sequência de estudos acadêmicos. O tempo de duração depende da área e do estudante; alguns completam em quatro anos, outros levam até oito; vai variar de acordo com o campo de estudo, do tema da pesquisa acadêmica e do comprometimento do estudante.

            Para ambos os títulos, algumas dicas são úteis: Não se esqueça das deadlines (cada universidade estabelece seus prazos); Pesquise anterior e profundamente o tema contemplado pela Bolsa de Estudo, normalmente associada a um cientista ou pesquisador renomado; Descrições pessoais serão analisadas por pessoas que não te conhecem, portanto seja claro e coerente e revise seus textos para evitar erros de português - que levam muitas vezes à eliminação imediata do processo seletivo.

Fonte: http://www.hotcourses.com.br/study-abroad-info/student-finance/como-ser-bem-sucedido-na-inscricao-para-bolsas-de-estudo-no-exterior/

Nenhum comentário:

Postar um comentário