sábado, 16 de agosto de 2014

JUVENTUDE EMPREENDEDORA

(Texto enviado pela Representante Beta EQ no Rio de Janeiro, Paolla Cruz Linhares - 6/2013)

Uma empresa júnior é definida como uma organização constituída por alunos de graduação com o objetivo de realizar projetos e serviços que contribuam para o desenvolvimento do país e de formar profissionais capacitados e comprometidos com esse objetivo. A maioria massiva dos estudantes que se envolvem em uma Empresa Júnior procura adquirir experiência de trabalho em equipe, em consultoria, em projetos, enfim, procura tão logo sentir o gosto do mundo empresarial antes mesmo de concluir o curso de graduação.

Empresas juniores se enquadram no terceiro setor da economia, ou seja, não possuem o objetivo máximo de lucro e não estão inseridas no setor privado. Desta forma, tais empresas se destacam por oferecer serviços de qualidade a baixos custos. Por isso, elas chamam muita atenção de micro e pequenas empresas que geralmente têm pouco acesso à consultoria sênior, devido às limitações de custo de serviço.

O maior objetivo de uma empresa júnior é capacitar profissionalmente seus membros ao realizar projetos coniventes com a área de atuação do curso de graduação no qual determinada EJ estiver vinculada. Desta forma as Empresas Juniores alcançam seu objetivo e promovem o empreendedorismo em sua região.

A primeira EJ surgiu no ano de 1967, na França. O conceito se espalhou entre as escolas de engenharia e administração francesas e tão logo foi criada a primeira confederação, a Confederação Francesa de Empresas Juniores que, na época, reunia 20 empresas.

No final dos anos 80 este conceito chegou no Brasil. Desde então, o número de EJ só vem aumentando, junto com sua credibilidade e potencial de trabalho.

Inspirando-se na Confederação Francesa, em 2003 criou-se a Brasil Júnior, confederação brasileira de empresas juniores, com a finalidade de propor e repassar diretrizes nacionais que devem ser adotadas pelas federações estaduais, de modo a regulamentar a atividade das empresas juniores em âmbito nacional. Ela promove a integração dos empresários juniores de todo o país, a partir do Movimento Empresa Júnior (MEJ). Atualmente, ela é formada por 14 federações, que representam 13 estados e o Distrito Federal. A Brasil Júnior trabalha para fomentar e dar suporte às empresas juniores em todo o Brasil a fim de potencializá-las. Ela é responsável pela realização do ENEJ (Encontro Nacional das Empresas Juniores), que reúne empresários juniores de todo o país. Em 2012, a Brasil Júnior realizou o JEWC (Junior Enterprise World Conference), maior evento de jovens empreendedores do mundo, que reuniu diversas empresas juniores em Paraty- RJ.



Se você se interessou pelo MEJ e possui um espírito empreendedor, não deixe suas ideias transformadoras guardadas. Afilie-se à Empresa Júnior de Engenharia Química da sua universidade. Se esta não existir, não desista. Dê o primeiro passo: abra uma Empresa Júnior! A Brasil Júnior orienta jovens empreendedores a como abrir uma EJ:



Na minha UFRRJ contamos com a Núcleo Engenharia, Empresa Júnior de Engenharia Química. (Na época, Paolla acabara de ingressar nela e fizera parte da equipe de Projetos, ocupando o cargo de trainee; atualmente, ela é estudante da Georgia Tech/EUA).

Mais oito empresas juniores de outros cursos estão consolidadas na universidade, sendo estas: Cetta Jr, Ecosaam Jr, Multiconsultoria, Flora Jr, Mensurar, Xport Jr, e Vital Jr. (dados a serem atualizados). Todas elas fazem parte da NAEJ: Núcleo e Aceleradora de Empresas Júnior da UFRRJ. Estão previstas mais três novas empresas até o final deste ano, o que não deixa de ser sinal do grande empenho dos universitários em adquirir experiências e colocar suas ideias em prática!

Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário