terça-feira, 15 de abril de 2014

SOFTWARES MAIS USADOS EM ENGENHARIA QUÍMICA


"No dia-a-dia do engenheiro químico, o computador é uma ferramenta essencial, porém, muitas vezes, essa importância não é devidamente enfatizada pela faculdade. 

A começar pelo melhor amigo de todos os estudantes e profissionais de Engenharia Química: O Excel. Um comum programa que é muito utilizado e que ajuda muito na hora de organizar um experimento, analisar dados, fazer tabelas dinâmicas, realizar contas e resolver funções utilizando o solver, além de muitas outras utilizações. Este é um software comum, mas que poucos conhecem seu poder.

Softwares mais específicos da profissão são os de projeto de equipamentos, que possuem em sua estrutura correlações, equações e métodos matemáticos para automatizar cálculos e realizar operações matemáticas complexas que envolvem o projeto de equipamentos de operações unitárias.

Os simuladores de processos por sua vez, auxiliam o Engenheiro Químico a projetar o processo e a planta industrial. Estes programas possuem a capacidade de construir diagramas de processo e instrumentação, os quais podem ser dinâmicos, realizando balanços de massa e energia, além de serem configurados para receber sinais da planta e mostrar o valor das variáveis de processo em tempo real, assim como, enviar comandos de atuação para modificar estas variáveis. Chama-se este tipo de projeto de “Sistema Supervisório”, estando presente em todo e qualquer processo real da indústria. Para fins acadêmicos obtém-se um sistema dinâmico deste tipo utilizando um programa que simula as entradas de dados dos instrumentos. Exemplos de simuladores são o ASCEND, Aspen Plus, CFX, Design II, Dymola, EMSO, Hysys, Petro-SIM, Pro II, SysCAD, DWSim, dentre outros. 

Essas são apenas algumas das principais aplicações de softwares na engenharia química, mas existem muitas outras importantes, como a de programas utilizados para o cálculo de propriedades termodinâmicas de sistemas complexos, softwares de desenho (AutoCad, SolidWorks, etc), estatísticos e tratamento de dados (Origin, Statistica, etc), matemáticos (MatLab, Octave, Mathematica, etc). Enfim, existe uma infinidade de programas e aplicações, dessa forma, cabe ao engenheiro escolher o melhor pacote de ferramentas que se adapte ao trabalho desejado e ao seu gosto."

Um comentário: